top of page

Como age uma cobertura adequada de EB?

Atualizado: 5 de mai. de 2023




Para quem convive com a Epidermólise Bolhosa (EB), a troca de curativos é uma etapa importante do cotidiano. Mas você sabe como age uma cobertura adequada para a pele das borboletas? É isso que a Alis explica hoje, portanto, acompanhe!


A primeira coisa é escolher uma cobertura que trate a lesão, e não cause mais irritação na região sensibilizada. Curativos com função adesiva muito aderente podem arrancar a pele sensível das borboletas durante a retirada, o que causa – além de dor – um atraso no tempo de cicatrização.


O melhor é optar por coberturas específicas para EB que, ao mesmo tempo que protejam as bolhas contra sujeiras, sejam elaboradas a partir de uma tecnologia que colabore com a cicatrização e torne o momento das trocas atraumático – ou seja: sem dor.


É interessante que esse curativo seja maleável, para garantir a mobilidade das borboletas, versátil – podendo ser aplicado nas mais diversas regiões do corpo –, e também possível de ser utilizado em conjunto com outras coberturas.


O UrgoTul Absorb Border, da @urgomedicalbrasil, se enquadra em todos esses requisitos pontuados pela Alis e é o curativo mais indicado para quem tem EB, pois a partir da Matriz Cicatrizante TLC, o a cobertura promove a regeneração epidérmica e proporciona a longa formação neotecidual e uma boa reestruturação da junção dermo-epidérmica.


Devido às suas propriedades, o curativo UrgoTul Absorb Border promove a contração das bordas da lesão, otimizando o processo de cicatrização. Que notícia boa, não é mesmo?


Então, ao escolher curativos, a dica final da Alis é: opte por aqueles pensados especialmente para quem tem EB. Assim, o processo de cicatrização será eficaz e a cobertura irá agir de acordo com as necessidades da pele de borboleta!

17 visualizações
bottom of page